A nossa viagem à ILHA TERCEIRA (Açores)

A nossa viagem à Ilha Terceira, nos Açores, aconteceu quase em cima da hora, quando nos surgiu a possibilidade de uma semana de férias completamente inesperada. Por isso, decidimos num roteiro que passava por São Miguel (podem ler aqui sobre o nosso roteiro a essa ilha) e depois seguia para a Terceira.

A Ilha Terceira é mais pequena que São Miguel e, por isso mesmo, precisa de ainda menos tempo para visitar. Há alguns trilhos para fazer e sítios para visitar, sendo que precisamos de carro para aceder a todos. Mas podemos fazer tudo lentamente, aproveitando a paisagem que é sempre linda nestas ilhas.

Na casa do Queijo Vaquinha.

Escolhemos ficar num alojamento de turismo rural e, qual não foi o nosso espanto quando percebemos que ficava mesmo ao lado do Queijo Vaquinha, um dos sítios mais recomendados na Terceira. E para melhorar ainda mais, não é que o pequeno-almoço incluído na nossa estadia… era mesmo lá?! 😀 Foram 3 dias em que tivemos sempre direito a queijo de qualidade (trouxemos de recordação o picante!), queijo fresco, iogurtes caseiros, fruta, leite, café, bolos regionais e pão lêvedo. Um pequeno almoço de reis!

Uma das atrações naturais da Ilha Terceira é subir ao pico de Santa Bárbara, o ponto mais alto da Ilha. Como já é habitual nos Açores, o tempo resolveu pregar-nos partidas, e apesar de estar um dia ensolarado, no topo deste pico estava um nevoeiro serrado e 5 graus negativos. Agradável, não é?!

Embora a Ilha tenha outras povoações, é em Angra Do Heroísmo que existem a maioria dos restaurantes, por isso foi lá que acabámos a maioria das vezes. Numa dessas incursões, depois de um dia fora e sem bateria no telemóvel para pesquisar, demos de caras com a Tasca das Tias. E, dado o bom aspecto e a falta de opção, decidimos ficar. Foi o jantar mais caro que tivemos nos açores (30€ por pessoa), e apesar de bom, na nossa opinião não vale esse valor. Optámos por partilhar vários petiscos açoreanos e podem ver aqui o que escrevemos sobre este restaurante.

A Natureza em estado bruto.

Um dos dias na Ilha Terceira pode ser totalmente passado a visitar as grandes – e únicas – atracções naturais da Ilha, sendo que o Algar do Carvão e a Gruta do Natal só abrem durante a tarde em determinados períodos do ano.

O Algar do Carvão é um cone vulcânico extinto! É possível descer dentro do vulcão, ver estalactites enormes e ainda uma lagoa. Vale muito a visita. Comprámos logo o bilhete combinado (9€) e seguimos directamente para a Gruta do Natal. Aqui podemos descer e andar livremente na gruta, sempre de capacete  A parte engraça é a origem do nome. Chama-se Natal pois há um antigo altar no interior onde antigamente era celebrada a missa do galo.

Na zona, podemos ir ainda ver as Furnas do Enxofre. Como seria de esperar, neste sítio cheira bastante a enxofre, então se o vento estiver de feição… Há um percurso que se pode fazer a pé para ver mais de perto os locas onde se vê o fumo a sair, mas infelizmente devido ao mau tempo só estava aberto até meio.

Outra zona a não perder é Biscoitos, onde temos as piscinas naturais, que são efectivamente muito bonitas e convidativas a tomar banho, mesmo no Inverno. O mar azul turquesa convence imensos turistas a experimentar a água e a aproveitar o “bom tempo” da Ilha Terceira. Mas tenham cuidado, porque o piso é muito escorregadio (e nós sabemos bem, porque um de nós deu uma maravilhosa queda nesta zona).

Finalmente, ainda podemos visitar o Monte Brasil e o pelourinho. A nossa recomendação é fazer a caminhada da praxe até ao cume do monte, de onde podemos ter uma vista muito agradável de Angra do Heroísmo e do resto da Ilha Terceira.

O Caneta e outras comidas…

O Caneta foi a melhor refeição que tivemos na Terceira, comida tradicional, deliciosa e a um preço justo. Provámos o famoso picadinho de alcatra, a alcatra dos Açores, o peixe boca negra e duas sobremesas tradicionais, sempre acompanhado com vinho da casa e da região (20€). Podem ler mais detalhadamente aqui toda a nossa refeição.

Noutra ponta da Ilha, encontramos a zona de Praia Vitória, onde há alguns restaurantes e snack-bares, todos com um prato comum: o Prego de Alcatra dos Açores. Provem, a carne é tão maravilhosa que não se vão arrepender! Nós escolhemos o Restaurante A Garça, mas parece-nos que a carne será a mesma em qualquer lado, por isso é arriscar e pronto.

Mas nem tudo são coisas boas…

Depois do Caneta, o restaurante que mais nos foi recomendado foi o Restaurante Beira-Mar, em São Mateus. A nível da comida, nada a dizer, peixe fresco como se quer. É pena o serviço ser trapalhão e esquecido, o que prejudica logo um bocado a experiência (podem ler aqui o nosso review).

O pior de todos os restaurantes a que fomos na Terceira foi mesmo o Restaurante Cais de Angra, mais perto do aeroporto, que não recomendamos de todo. É uma clara “tourist trap”, com preços acessíveis mas comida sofrível. E para quem for seduzido pelo Burger “Queijo Vaquinha”… desengane-se: é quase uma ofensa àquela instituição!

Um bom destino de fim-de-semana.

No fundo, a Ilha Terceira vale muito a visita durante um fim de semana (ir Sexta depois de almoço, voltar Domingo ao final do dia), não só pela beleza natural e atracções geológicas, mas também pelo estado “em bruto” em que se encontra. Aqui sente-se a Natureza como ela devia ser sempre, quando sem o toque humano.

Por isso, é alugar um carro e partir à aventura!

8 comentários em “A nossa viagem à ILHA TERCEIRA (Açores)”

  1. Bom dia…
    Antes de mais, obrigado por partilharem a vossa experiência na fantástica Ilha Terceira, a qual acabamos de visitar, este fim de semana e com as dicas do vosso blog pudemos conhecer locais onde se comeu bem. Apenas deixar um comentário relativamente a uma sugestão referida que é o Prego no restaurante ” A Garça” na Praia da Vitória. O prego de certeza já não é o que referem aqui, vendo pela foto, na verdade, hoje em dia, não tem qualquer tipo de parecença. Foi aliás, um dos piores pregos que já comi. Pão seco, carne de vaca normalíssima, fina e sem sabor. Muito fraco mesmo. Tirando isso, tudo muito bom. Obrigado!!!

    Responder
  2. Boa noite.
    Se me permitem a correção, o pão chama-se “bolo lêvedo”.
    De resto acho que foi um bom apanhado, estou cá há 8 anos, para mim o Caneta é a melhor carne da ilha. Ainda assim se voltarem, ou para outros visitante, permitam-me a sugestão “Quinta dos Açores” e “Taberna do Roberto”. Há muitos outros que valem a pena, e conhecer as ilhas no geral é tempo muito bem gasto!
    Cumprimentos!

    Responder
  3. …pois a casa é a mesma, a da Vaquinha, mas atenção a ilha não se deve fazer num fim de semana. Vivi lá mais de um sano e volto . Comer oh as sugestões vão da Praia a Angra e …Caneta claro!!! Conhecer e andar a pé é fundamental na Terceira…

    Responder
  4. Viva,
    obrigado pelo reporta da Ilha
    já me ri bastante, estive lá 5 dias, e não fui comer a nenhum dos sítios que falam….
    os sítios a visitar não falhou nenhum e ainda fui a mais alguns. mais um motivo para voltar a Terceira para tirar a teima no que diz respeito a gastronomia.

    obrigado
    Carlos Pereira

    Responder
    • Carlos acho que vale a pena lá voltar, já lá fui e 2 vezes e fui a todos os restaurantes mencionados e quero lá voltar brevemente para ir outros ou ao mesmos se calhar. Recomendo

      Responder
  5. Boa noite
    Peço desculpa de estar a incomodar, mas onde ficaram hospedados?
    É que vou viajar em Fevereiro para os Açores e não queria ficar num hotel, queria algo mais tradicional
    Obrigada 😀
    Branca

    Responder

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.