DINASTIA TANG

DINASTIA TANG

Um chinês de referência!

Admito que tenho fases em que ando com “desejos” de chinês. Mas a outra metade do Onde Vamos Jantar? não é especialmente fã, por isso é sempre complicado que se torne uma opção para jantar. Por isso, é sempre preciso esperar pela ocasião certa… ou pelo restaurante certo. A ocasião nem sempre controlamos, mas a escolha de restaurante está completamente do nosso lado, o que torna tudo mais fácil. E se a primeira vez que fomos ao Dinastia Tang, em Marvila, foi depois de alguma insistência e pesquisa, a última visita foi num contexto de jantar de aniversário. Onde não pudemos escolher o restaurante mas, para minha sorte, é um regresso ao Dinastia Tang. E para mais um jantar muito bom!

Marvila não é uma zona bonita nem movimentada da cidade (ainda que isso esteja a mudar), e isso parece que baixa um bocado as expectativas para um jantar nesta zona. Mas podemos estacionar à porta sem qualquer problema, por isso compensa. De fora, o que vemos é um armazém escuro com um letreiro luminoso com o nome do restaurante. Honestamente, para quem não sabe para o que vai, este não é a melhor primeira impressão…

… mas felizmente tudo muda quando entramos! A porta é lateral e subimos logo umas escadas para o primeiro piso, onde o registo é efectivamente diferente. Não é um típico chinês, com decorações berrantes, nada disso, é antes um espaço com a arquitectura esperada de um armazém mas decorado com imensos pormenores chineses (pormenores esses que vamos descobrindo aos poucos) e com biombos que criam diversas áreas separadas. Sentimos ali algo de industrial e, ao mesmo tempo, algo de sofisticado e cuidado. Interessante.

O restaurante é grande mas a verdade é que enche facilmente, e como as salas são separadas, há uma boa gestão da utilização do espaço. A nível de “fauna”, temos de tudo um pouco: grupos, famílias, alguns casalinhos e ainda alguns asiáticos, o que é sempre bom sinal.

O serviço não é o mais ágil do Mundo, e isso sente-se ainda mais com um restaurante cheio. Há coisas simples que demoram demasiado tempo, pedidos que não se sabe onde devem ser entregues, no fundo há uma pequena confusão geral. Num registo de jantar de grupo, isso passa um pouco despercebido ou pelo menos tolera-se, porque há já animação suficiente na mesa. Noutro registo mais “íntimo” torna-se um pouco mais chato… Mas avancemos.

A ementa do Dinastia Tang é muito extensa e até segue uma linha comum aos chineses mais tradicionais: está dividida por proteínas e em cada uma temos diferentes tipos de confecção (ou pratos). Não é tudo tão igual como nos outros chineses, mas a lógica é semelhante. Ainda assim, há muitos pratos diferentes e desconhecidos, pelo menos para a grande maioria das pessoas. Num registo a dois se calhar as escolhas são entre os pratos mais consensuais, mas num contexto de jantar de grupo podemos arriscar mais. E como já lá estivemos em ambos, temos muito para contar! 🙂

Há entradas antes dos pratos principais, umas mais conhecidas que as outras (aliás, coisas mais “estranhas” como as línguas de pato cozidas a vapor saíram da carta, talvez por serem demasiado distantes do habitual nos chineses). Temos Dumplings de Porco (podem chamar-lhes raviolis, mas só por causa da forma), que cumprem sem surpreender, Ovo de Codorniz com aroma chinês (uma fantástica surpresa), assim como Dim Sum variado e muito bom (experimentem o Siu Mai de Carne e Gambas e também as Gambas e Bamboo em Massa Translúcida, por exemplo).

Ainda no registo do dim sum, o Pão Chinês com Porco e Mel é talvez o mais desinteressante do jantar, porque o recheio não tem tanto sabor como deveria ter. A opinião é unânime na mesa, e quando o pedimos até somos um grupo grande. Muito melhores os Crepes Vietnamitas, que aqui são assim um misto de spring roll e crepe chinês. Ainda que se estranhe no início, depois começamos a comer e o sabor está todo lá.

dinastia tang
dinastia tang

Uma das surpresas nos pratos principais é um prato que está na categoria dos “vegetais”: a Beringela Doce & Picante com Carne Picada está longe de ser um prato vegetariano, mas tem uma conjugação de sabores muito interessante. Muito bom é também o Pato Assado à Pequim, além de ser uma dose que dá à vontade para duas pessoas. Escolhemos porque gostamos muito e, num registo de grupo onde se prova de tudo um pouco, é sempre um prato mais consensual. O pato é perfeitamente cozinhado e o molho é excelente.

dinastia tang

Mas se calhar o prato que se destacou mais em qualquer uma das nossas visitas ao Dinastia Tang foi mesmo o Frango à Sichuan. É um prato verdadeiramente delicioso! Uma explosão de sabores e texturas, um picante que nos aquece sem nos “destruir” o palato, uma apresentação muito boa, enfim, toda uma experiência. Excelente!

dinastia tang

Nunca fomos aos peixes, mas já provámos outros pratos, sempre bons, sempre muito acima da média dos restantes restaurantes chineses: o Frango com Cogumelos Chineses na Púcara, o Entrecosto à Hong Kong (penso que não encontram em nenhum outro chinês em Lisboa e aconselho vivamente) ou os Noodles Salteados com Gambas (algo tão simples mas aqui muito bem feito, sem excesso de gordura, só sabor).

dinastia tang

As doses são grandes, e isso, juntando às entradas, faz com que terminemos a refeição muito cheios. Mas há sempre espaço para uma sobremesa, e a tradição manda que seja o Gelado Frito, que aqui não é servido com rum, apenas simples. Bom o gelado, excelente a textura e sabor da massa. Mais diferenciador mas muito menos interessante a nível de sabor são os Bolinhos de Abóbora com recheio de Doce de Ovos… visualmente engraçados mas depois são demasiado massudos e nem sequer sabem a grande coisa.

dinastia tang
dinastia tang

Ok, o Dinastia Tang não é um restaurante barato quando comparado com restaurantes de chinês em regime buffet. Mas lá está, a qualidade paga-se! É a nossa “eterna luta”: temos de ser exigentes com aquilo que comemos e, quando saímos de um restaurante onde se sente a qualidade dos ingredientes e a confecção dos pratos é imaculada, então a experiência é uma boa experiência. E vale aquilo que custa.

O Dinastia Tang é uma referência para os chineses em Lisboa, porque consegue aliar qualidade a um factor surpresa. E isso resulta em qualquer ocasião, tanto seja a dois como num registo de grupo. O importante é deixarem-se ir e experimentarem sem medos. Porque se o fizerem, vão gostar muito. De certeza!

Preço Médio: 20€ pessoa (prato e sobremesa, com cerveja)
Informações & Contactos:
Rua do Açúcar, 107 | 1950-006 Lisboa | 218680467

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.