MEMORIA

Um restaurante que fica na… memória!

Há restaurantes que nos causam uma impressão logo ao primeiro contacto que temos com eles. Seja ela negativa ou positiva. Mas são poucos (muito poucos mesmo) os restaurantes sobre os quais alteramos essa primeira impressão. E isso só acontece quando a experiência é segunda experiência é tão diferente da primeira que quase nos faz esquecê-la. Quase. Ora, este é o enquadramento perfeito para vos falar acerca do Memoria, o mais recente restaurante do Grupo Pasta Non Basta. Restaurante… italiano. Claro.

Começámos mal, mas ainda antes de sequer nos sentarmos no restaurante. Tentámos lá ir duas vezes, numa altura em que o Memoria ainda não aceitava reservas, e aconteceu exactamente a mesma coisa em ambas: ligamos antes, dizem-nos que não reservam mas dizem para irmos porque está a ser um dia calmo, chegamos e temos cerca de 1 hora de espera. Honestamente, não percebemos esta coisa dos restaurantes não aceitarem reservas de mesa, uma tendência que está a ser cada vez maior nos espaços recém-abertos na cidade. Por isso, pensámos em tirar o Memoria… (esperem…) … da memória. Mas acabámos por tentar uma terceira vez. E ainda bem!

O Memoria fica mesmo no centro de Campo de Ourique, junto ao Jardim da Parada, e com isso traz todos aqueles problemas de estacionamento já nossos conhecidos. Mas a azáfama da rua e do jardim desvanecem assim que entramos porta a dentro. A primeira sala é pequena e dominada pelo balcão que a divide da cozinha, onde podemos ver o forno de pizzas e o resto da preparação dos pratos. O espaço tem exactamente a decoração e o tipo de mobiliário perfeitos para nos fazer sentir bem – não nos sentimos verdadeiramente em casa, mas a combinação de mármores das paredes com a madeira das mesas e móveis dá-nos um feeling… “quentinho”.

Esse sentimento de estarmos num italiano mais ou menos caseiro salta a segunda parte da sala (mais pequena e mais escura) mas prolonga-se para a zona exterior, que é uma magnífica esplanada para dias quentes. Aqui sim, sentimos estar num pátio de uma qualquer cidade italiana, longe da confusão de gente e carros.

Podemos ler a ementa nos individuais de mesa, na qual temos quase só pastas e pizzas, além de várias entradas. Pode ser pela utilização de uma tipografia manuscrita, mas voltamos a ter aquele feeling de que aqui as coisas são genuínas, são caseiras. Truques básicos da comunicação, mas que funcionam quase sempre. 😉

Quem nos atende até tem algumas recomendações, mas não ajudam muito nas nossas indecisões. Porque mesmo não havendo muitas referências na lista, cada pasta (por exemplo) parece mais deliciosa que a anterior. Talvez por isso tenhamos voltado ao Memoria mais três vezes depois da primeira.

Começamos como se começa em qualquer italiano a sério: com Foccacia e Parmigiano. É uma espécie de couvert, mas servido numa dose que serve perfeitamente como entrada. A foccacia fantástica e o queijo que não lhe fica nada atrás, e que nos mostram logo que vamos ter aqui uma verdadeira viagem.

Viagem essa que continua ou com a fenomenal Burrata com Pesto e Prosciutto (onde não conseguimos escolher qual dos três ingredientes é o melhor, mas que é uma entrada inesquecível!) ou com a Bruschetta San Daniele, Burrata e Pistacchi (mais simples mas ainda assim muito boa). São entradas simples, sem grandes artifícios, bem empratadas e com cores vivas, mas principalmente entradas onde os ingredientes falam por si.

Ora, se nas entradas já estávamos rendidos ao Memoria e (quase) já tínhamos esquecido as primeiras duas tentativas de lá ir… eis que começamos a provar as pastas. Que são, provavelmente, as melhores pastas que já comemos num restaurante italiano fora de Itália.

Aquela que repetimos mais vezes – aliás, todas as vezes que voltámos ao Memoria – é o Tagliolini Al Pesto de Ervas Aromáticas da Horta. Uma espécie de tagliatele mas mais fino e mais pequeno, imerso num molho pesto simplesmente fantástico, coberto de parmigiano e pinhões. Há qualquer coisa de quente e fresco neste prato, tudo em simultâneo, e é tudo tão simples e saboroso que não há mesmo palavras para descrever.

Outra pasta memorável (continua a ser fácil fazer este trocadilho) é um clássico: o Spaghetti Alla Carbonara. Aqui feito como deve ser, claro. Já começa a ser mais ou menos habitual encontrar uma carbonara “genuína” em Lisboa, mas aqui no Memoria temos a melhor que já provámos nos italianos da cidade. Guanciale (uma espécie de bacon), pecorino e parmesão, tudo envolvo em ovo, com o spaghetti al dente, enfim, uma maravilha de prato. Uma pasta para nos aquecer a alma.

No campo das pizzas, também ficamos muito bem servidos. Massa saborosa, relativamente alta nas extremidades mas fina no meio, ingredientes bem distribuídos e, como acontece nos resto dos pratos, de qualidade muito elevada. Na fotografia está a Memoria, pizza com o nome da casa, com tomate, mozzarella flor di latte, salame picante, nudja, azeitonas e oregãos. Boa conjugação de ingredientes, picante qb, ou seja, uma bela opção para quem não quer ir para as massas.

Finalmente, as sobremesas. Num italiano esperamos sobremesas clássicas e gulosas, e o Memoria não nos falha nesse ponto. O exemplo máximo é o Tiramisù, onde a travessa vem à mesa e é retirada uma colherada para o nosso prato. Como se faz em casa de uma avó italiana, acreditamos nós. Um tiramisù também fantástico, com os sabores completamente equilibrados, que deixa um toque final a café na boca. Excelente para terminar uma refeição que… adivinharam: fica na memória!

Por isto tudo o que descrevemos, e mesmo depois das duas tentativas sem sucesso que nos criaram alguns anticorpos, o Memoria acabou por entrar directamente para o nosso top de restaurantes do ano de 2019, e mais ainda: entrou também para o nosso Top 5 de restaurantes italianos preferidos em Lisboa. E, tendo em conta a quantidade de restaurantes italianos que existem, isso é muito positivo em relação a este. Muito mesmo!

O Memoria faz-nos sentir bem, faz-nos sentir numa Itália tradicional que se calhar até não tem nada a ver com a realidade. Mas essa percepção transforma completamente a experiência, sendo que depois a comida faz o resto. A simplicidade dos processos, a qualidade dos ingredientes, a forma como os pratos são apresentados, os sabores fantásticos que podemos provar. Tudo no Memoria está pensado ao pormenor para nos ficar na memória (é a última vez que faço este trocadilho). E fica mesmo!

Preço Médio: 22€ pessoa (com vinho)
Informações & Contactos:

Rua 4 de Infantaria, 26 A | 1350-273 Lisboa | 21 099 8366

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.