o faroleiro

O FAROLEIRO

Uma vista fantástica. E um restaurante parado no tempo…

Há duas coisas comuns aos restaurantes que ficam na Estrada do Guincho: a vista fantástica que têm para o mar, e os preços demasiado altos para a oferta. E em relação a esses dois factores, há níveis diferentes, ou seja, há uns com melhor vista que outros, assim como há uns mais overpriced que outros. Por isso, a decisão entre qual o restaurante ir pode ser feita ao calhas, por já conhecermos ou simplesmente por recomendação. E foi exactamente uma recomendação que nos levou a’O Faroleiro.

Ora, se fica na Estrada do Guincho, à partida estamos a falar de uma marisqueira. Sim, O Faroleiro é uma marisqueira, daquelas tradicionais, que também servem peixe fresco. E usamos o termo “tradicionais” porque basta entrar no restaurante para perceber que tanto o espaço como o serviço são um pouco… antiquados. Ou parados no tempo, se quisermos. No caso do espaço, demasiado despersonalizado e cheio de pormenores de decoração de gosto duvidoso. E no caso do serviço, demasiado formal, sem um sorriso, pelo menos para mesas de pessoas que não são clientes habituais. Para esses, há tudo. Enfim…

A carta tem como principal destaque o marisco, que podemos ver no aquário perto da entrada. Há grande e pequeno, e este último transita para as entradas, onde temos alguns petiscos. Seguem-se vários pratos de peixe, e ainda temos a opção de peixe fresco, grelhado. Há muita coisa habitual, assim como algumas especialidades da casa.

As Amêijoas à Bulhão Pato são boas, tanto as bichas como o molho, que poda ser mais se nos fossem servidas na travessa original. Mas aqui faz parte do serviço de sala fazer o empratamento dos pratos, o que, pelo menos no caso das amêijoas, tira-lhes alguma graça. Ainda assim, não há nada a apontar ao sabor nem à frescura.

o faroleiro ameijoas

É curioso que todos os pratos que pedimos têm elementos com tons amarelados, que ficam ainda mais realçados à medida que o sol de vai pondo. Este é claramente o destaque do restaurante, o facto das amplas janelas nos deixarem ver a vista e, ao jantar, um magnífico pôr-do-sol. Por isso, os Filetes de Linguado parecem pequenos lingotes de ouro, e vêm acompanhados por um Arroz de Berbigão que faz pandant com eles a nível cromático. Tanto os filetes como o arroz são muito bons, tudo cozinhado na perfeição, tudo muito saboroso.

o faroleiro filetes

Saborosas também as Lulas Grelhadas, bem grelhadas, sem que tenham ficado com aquela textura esponjosa que às vezes acontece. Tempero no ponto, mas acompanhadas por um molho de base de azeite que as torna ainda melhores. Como acompanhamento, legumes salteados, simples mas bons, e uma salada mista. Não é preciso mais nada.

o faroleiro lulas grelhadas

Para terminar, sobremesas. Clássicas e caseiras. Nós dividimos umas Farófias, por recomendação do empregado, numa das poucas vezes que se dignou a conversar connosco. Boa recomendação, boas as farófias, sem dúvida, leves e com um creme delicioso. Novamente os tons dourados, a acompanhar os raios finais de um pôr-do-sol fantástico.

o faroleiro farófias
o faroleiro

No final de contas, O Faroleiro vale imenso pela vista, ainda que nem esteja no lado “certo” da Estrada do Guincho. E vale também pela comida, mesmo não sendo completamente surpreendente, até porque não é dos restaurantes mais caros da zona. Pena ser demasiado clássico e, em alguns pormenores, mesmo antiquado. Parece um restaurante parado no tempo, mas se calhar é só para nós, porque percebemos que tem o seu público.

Preço Médio: 38€ pessoa (com vinho)
Informações & Contactos:

Estrada do Guincho | 2750-642 Cascais | 21 487 02 25

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.