QURA

QURA

Um dos melhores restaurantes do ano!

Era quase inevitável fazer algum tipo de trocadilho com o nome do restaurante, aliás, até temos alguns para escolher nos individuais de mesa do Qura. Ou na sua comunicação nas várias redes sociais. Mas resolvemos não o fazer e ir directos ao assunto no título. Porque há restaurantes sobre os quais nem é preciso dizer muito, porque são o que são, ou bons ou maus. Ou muito bons. Ou dos melhores onde tivemos o prazer de ir jantar este ano. Como é o caso do Qura.

Já aqui escrevemos algumas vezes acerca desta nova fase das tascas modernas em Lisboa, onde os petiscos deram lugar aos pratos mais ou menos tradicionais que, assim como os petiscos antes, são re-trabalhados com ingredientes mais modernaços e empratados de forma mais sofisticada. “Tascas de Chef”, se quiserem. E se a verdade é que têm aparecido muitos destes espaços nos últimos meses, também é verdade que acontece um bocado aquilo que acontecia nas tascas modernas de há 3 anos atrás: estamos a comer mais ou menos as mesmas coisas, com nomes e empratamentos ligeiramente diferentes. Ora, o Qura até podia ser encaixado neste grupo de restaurantes… mas felizmente não tem nada a ver!

O Qura é um pequeno espaço numa esquina de Campo de Ourique, o que significa que é tão difícil arranjar mesa como lugar para estacionar o carro (piada fácil). A entrada é dominada pelo balcão do bar, que se prolonga de “L” para a cozinha semi-aberta, virada então para as poucas mesas disponíveis. A iluminação é boa, o mobiliário segue a linha deste tipo de restaurantes e a nível de decoração é mesmo só isso (ainda bem, porque assim deixam “viver” a parede de pedra pertencente ao espaço).

Mas a primeira coisa que surpreende efectivamente no Qura é o serviço. Sim, é mais jovem e sim, é simpático… mas está num nível acima de muitas outras destas “tascas modernas 2.0”. Aqui sentimo-nos realmente bem-vindos, sentimos que tudo é espontâneo. Logo quando entramos é-nos oferecido um flute de um rosé de produção especial para o restaurante, bem bom por sinal. E enquanto o bebemos explicam-nos o conceito da ementa, sempre com sugestões assertivas e completamente adequadas ao número de pessoas que somos.

A ementa, não sendo muito grande, está cheia de pratos que reconhecemos… mas com pequenos twists que os tornam ainda mais interessantes na leitura. No fundo, ficamos na mão com uma indecisão tremenda, porque tudo nos parece bom!

Começamos com Croquetes, e começamos muito bem. Os croquetes do Qura são fantásticos a nível de sabor e de consistência, acompanhados de uma maionese que não é necessária mas não tem nada de errado. E logo depois dos croquetes chega o melhor prato da noite, logo assim para começar: Lulas, Pesto de Coentros e Raiz de Aipo, um prato fantástico, com as lulas perfeitas, o puré delicioso e o pesto a envolver todo o conjunto. Todos os outros pratos são excelentes, mas este está ao nível do magnífico!

Seguimos ainda com o verde como cor dominante, ainda que num registo diferente. É o Atum e Pak Choi braseados, com azeite de salsa e uma emulsão de sésamo, uma espécie de tataki mas com sabores portugueses muito acentuados. Um prato fresco, visualmente rico e onde tudo está cozinhado na perfeição.

Por outro lado, a Bochecha de Porco com Bolo Lêvedo e Kumquat transporta-nos para o registo da comida de conforto, ainda que com o twist que está presente em todos os pratos. A bochecha está perfeita, com um molho de toque avinagrado que a torna muito mais interessante, e é servida num tachinho sobre pequenos pedaço do tal bolo lêvedo, o que lhe dá uma textura mais estaladiça. E se a bochecha já é muito boa, o acompanhamento que pedimos é maravilhosamente guloso! Umas batatinhas assadas no forno, cobertas de queijo da Serra e cebolinho, assim uma coisa deliciosa!

As doses até podem parecer pequenas à vista, mas são substanciais, por isso resolvemos dividir uma sobremesa. A recomendação é imediata: a Famosa Tarte de Maçã do Salmora (o restaurante que o dono do Qura tem em Vilamoura). Ora, esta tarte de maçã é fantástica! Gorda, bem recheada, massa estaladiça, acompanhada de uma bola de gelado só mesmo para criar um contraste de temperatura. Uma sobremesa que dá perfeitamente para dividir, e que termina o jantar no Qura de forma perfeita!

No fundo, o Qura tem uma fórmula perfeita. Um espaço bem pensado e trabalhado, staff competente e muito atencioso, comida deliciosa e que no fundo vai agradar a toda a gente… e, também, preços bastante convidativos. Sim, porque os preços são mais acessíveis do que em muitos dos espaços do mesmo género que abriram neste último ano em Lisboa.

No Qura sentimo-nos bem… ou seja, este restaurante é a “qura” para todos os nossos males! Sim, era inevitável fazer um trocadilho. Mas ainda mais inevitável é dar um saltinho até Campo de Ourique, mesmo com as dificuldades de estacionamento, e conhecer o Qura. Para nós foi uma das grandes revelações deste ano, pela comida, por tudo. Desde o cálice de rosé que recebemos assim que passamos pela porta até ao mini croissant que acompanha o café. Uma experiência fantástica.

Preço Médio: 25€ pessoa (com vinho)
Informações & Contactos:

Rua Coelho da Rocha, 110 A/B | 1350-013 Lisboa | 915 602 947

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.