RICE ME

Rice to meet you! Mesmo! 🙂

Vamos voltar ao “longínquo” ano de 2016, numa altura em que as “ias” eram abundantes um pouco por todo o lado, com as hamburgarias, as pizzarias, as petiscarias, as cachorrarias, as cevicherias, as salsicharias… enfim, perceberam o ponto. No auge destas modas todas, foi de saudar a existência de gente que preferiu não seguir o caminho fácil dos hambúrgueres ou dos petiscos e resolveu inovar. E, tendo em conta que a esperança média de vida de grande parte dos espaços abertos nessa altura foi inferior a dois anos, é ainda mais gratificante ver que um espaço com o Rice Me não só ainda continua aberto… como está a aumentar a sua oferta! 🙂

Conhecemos o Rice Me muito próximo da sua abertura, e ficámos fãs logo desde a primeira visita. Porque, em primeiro lugar, tem uma premissa simples mas muito interessante: tudo o que serve tem como base o arroz. E serve todo o tipo de refeições, desde o pequeno-almoço ao jantar, agora dividido entre os dois espaços contíguos (o Restaurante e o Deli). Ou seja, este elogio ao arroz, um produto tão enraizado na nossa cultura gastronómica, é algo nunca antes feito e que, na nossa opinião, faz cada vez mais sentido.

Mas comecemos pelo início, isto é, pelo restaurante em si. Desde o início que o espaço sempre foi muito clean, faz-nos sentir quase como se estivéssemos num spa, com os tons brancos a dominar o ambiente. Faz sentido, tendo em conta o posicionamento. A iluminação é bem seccionada sem ser demasiado intensa, e o Rice Me abriu recentemente uma segunda sala, no piso inferior, mais adequada a grupos, com uma decoração de extremo bom gosto, muito acolhedora.

Mas a nossa maior expectativa, na primeira visita, era mesmo a comida. E superou as expectativas! A ideia de servir tudo com algum elemento de arroz até pode parecer arriscada, mas a realidade é que a solução encontrada pelo Rice Me é extremamente inteligente: não só temos pratos clássicos com arroz (Pato, Cabidela, Arroz Doce), como há outros mais ou menos inovadores mas onde o arroz entra como farinha ou como massa. Além disso, há um claro piscar de olhos aos vegetarianos/vegan/intolerantes ao glúten, o que torna a oferta muito abrangente. Todos os meses há ainda um prato tradicional diferente, um especial do mês – que, em Março, é o Arroz de Lampreia, porque é época dela. Já provámos… e podemos dizer-vos que é excelente! Por isso, corram até ao Rice Me! 😉

A lista (um “Holy Book”, uma espécie de livro sagrado do arroz) está bem segmentada, mas precisa ainda assim de alguma explicação, que é sempre feita ou pela Renata (a responsável pelo Rice Me) ou por algum dos outros funcionários de sala. Explicativos e muito simpáticos, dão sugestões consoante as nossas preferências, explicam os pratos especiais e os tipos de arroz que se podem conjugar com qualquer um dos pratos da carta, sempre de forma descontraída. Porque aqui queremos ter uma boa experiência, e ela passa muito pela forma como somos tratados.

Depois de todas as nossas visitas, já temos alguns pratos preferidos, como não podia deixar de ser. Mas, ainda assim, aceitamos sempre quase todas as sugestões que nos dão, que ainda se revelam acertadas. Nas entradas, por exemplo, temos umas excelentes Gyozas Vegetais (o arroz está na farinha), bem recheadas, ou as Bolinhas de Arroz com Tinta de Choco, acompanhadas por um molho de iogurte, uma espécie de croquete de arroz que na realidade é um snack imperdível! Numa óptica mais fresca, temos os Biquerones em Torradas de Pão de Arroz, uma entrada de Verão, que nos transporta para o Algarve.

A nível de pratos principais temos também muitas alternativas, em vários registos diferentes: risottos, massas de arroz ou mesmo tipologias de arroz diferentes para acompanhar algumas proteínas. Como é o caso do Naco de Salmão ao Mel, que pode ser acompanhado com Arroz Selvagem, um prato que nos remete para sabores mais orientais. Ou os Noodles de Arroz com Camarão, Amêijoas e Choco, um prato que mistura influências portuguesas com outras mais orientais, e que vai de certeza agradar a toda a gente.

Estas influências orientais materializam-se também no Pad Thai de Frango, feito com massa de arroz, com sabores intensos e muita textura, um pad thai que não fica nada atrás de outros servidos em restaurantes tailandeses da Grande Lisboa.

E temos ainda algumas opções de risottos, como não podia deixar de ser. O nosso preferido é o Risotto de Cogumelos e Espargos, onde tudo está bem feito: o ponto de cozedura do arroz, a proporção dos ingredientes, a quantidade de queijo, enfim, um risotto daqueles mesmo bons!

Finalmente, temos alguns pratos novamente de inspiração tradicional portuguesa, mas com twists mais contemporâneos… e também com a possibilidade de serem servidos com vários tipos de arroz diferentes, à escolha. Como por exemplo o Bacalhau Confitado, servido com Geleia de Pimento, Couves e, no nosso caso, Arroz Vermelho. Um prato cheio de cor, cheio de vida, cheio de sabor, com a geleia a unir todos os ingredientes de forma fantástica.

E por falar neste prato, é importante reforçar que no Rice Me os olhos também comem, e aquilo que sentimos é que neste ponto o restaurante continua a evoluir. Nota-se em todos os pratos um cuidado em ter cores vivas e contrastes, apontamentos que nos remetem para o posicionamento de cozinha saudável. Mas, mais do que isso, que nos dão mesmo vontade de comer.

Para terminar, as sobremesas, claro, onde a oferta também é grande e a presença do arroz está um pouco por todo o lado. Destaque para o Pijaminha de Arroz Doce, com a possibilidade de provar o Arroz Doce Clássico do Rice Me (não demasiado doce, cremoso, a precisar apenas de um pouco de canela) e ainda as outras 3 variantes que o restaurante tem, onde variam os toppings: coulis de maçã, frutos vermelhos e ganache de chocolate. Uma experiência interessante e que fecha o ciclo de uma viagem pelo mundo do arroz.

Saímos de qualquer jantar no Rice Me com um sorriso, porque saímos muito satisfeitos e contentes por ver a evolução e ser sempre surpreendidos. O Rice Me mostra-nos toda a versatilidade do arroz, mas também nos mostra que as boas ideias, nas mãos de pessoas criativas e competentes, se podem tornar em casos de sucesso.

Esse sucesso pode ser medido por um restaurante sempre cheio de gente, com a abertura do novo Rice Me Deli (na porta ao lado, que serve pequenos-almoços e refeições ligeiras durante todo o dia) ou mesmo na inauguração da segunda sala no restaurante, mais virada para grupos. Aliás, o Rice Me é o restaurante ideal para grupos, com menus a começar nos 18,90€ por pessoa, com bebidas incluídas, mas ainda mais do que isso: com alternativas para todo o tipo de pessoas e todo o tipo restrições alimentares.

Por tudo isto, para nós, o Rice Me continua a ser um dos restaurantes mais interessantes em Lisboa! 

Preço Médio: 15€ pessoa (com vinho)
Informações & Contactos:
Rua Carlos Testa, 18 A | 1050-046 Lisboa | 211387208

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.