AVENIDA SUSHI CAFÉ

AVENIDA SUSHI CAFÉ

Sushi & Style!

O primeiro texto que escrevemos sobre o Avenida Sushi Café foi em Agosto de 2013. Isso não é assim tão surpreendente quando penso no contexto geral dos textos escritos aqui no site, mas torna-se mais interessante quando nos concentramos só no âmbito dos restaurantes de japoneses/de sushi. Se hoje não é nada fora do comum escrever sobre restaurantes japoneses (e nem só de sushi, porque os há cada vez mais com ofertas mais amplas), a verdade é que em 2013 a realidade era diferente. Por que não haviam tantos… nem tão bons.

Talvez por isso tenhamos ficado fãs do Avenida Sushi Café logo desde o início. Porque a oferta era muito variada, o peixe fresco, o espaço muito cosmopolita e internacional. E, a nível da comida, o registo de sushi de fusão era algo relativamente novo em Portugal, por isso muito surpreendente. Para nós, tornou-se um regular nessa altura, e uma referência para restaurantes japoneses em Lisboa.

O tempo passou, a oferta cresceu, apareceram alguns japoneses muito bons e muitos outros bastante maus… e o Avenida Sushi Café (assim como os outros restaurantes do grupo) foi conseguindo manter-se como a tal referência de que falámos. Mas com tanta coisa nova para experimentar, é normal que nos tenhamos distanciado. Não caiu em esquecimento, mas o regresso ficava sempre “para outro dia”.

Felizmente esse “outro dia” chegou recentemente, e lá voltámos nós à Barata Salgueiro para matar saudades. E para perceber o que estava diferente no Avenida Sushi Café.

Começando pelo início, há coisas que não mudam. Porque estão bem e não têm de mudar, é tão simples como isso! Neste caso, o espaço, que continua a transportar-nos para uma cena de um qualquer filme passado em Nova Iorque. É um sofisticado sem intimidar, um minimalista atento a pormenores, um cozy com requinte. As mesas podem ter casais em momentos românticos ou grupos de malta fashion que nenhum perturba o outro, porque o espaço é bem seccionado. Boa iluminação, também bem gerida consoante as várias zonas do restaurante. Música ambiente sempre presente, às vezes um pouco alta demais, mas estamos num restaurante que pede isso.

Mas o Avenida Sushi Café é muito mais do que um espaço com pinta. Muito mais. Aqui continuamos no registo do sushi de qualidade, com muita fusão, mas não é daquela fusão sem sentido. Aqui promovem-se sabores. E isso, actualmente, vai muito para além do sushi! Vamos começar? 😉

sushi cafe avenida

A carta é focada no sushi, sem dúvida, mas também nos apresenta pratos cozinhados, uns mais conhecidos que outros. Por isso, a sugestão do menu de degustação é bastante interessante, uma vez que percorre quase todos os momentos da carta.

Começamos com Mille-Feuilles Tuna Tartar, e começamos muito bem! Um tártaro de atum com kimchi fechado dentro de uma massa de mil-folhas de pergamena. Um prato espectacular, primeiro pela apresentação e depois pelo sabor, rico, profundo, que ganha imenso com o kimchi. O mil-folhas aguenta bem o tártaro, que se come à mão como se fosse um snack. Excelente começo!

sushi cafe avenida

Pouco depois chega à mesa o Hammachi Sashimi: sashimi de lírio australiano com um fenomenal vinagrete de pesto. O peixe é muito bom, mas é o vinagrete que se destaca no prato, por usar a sua acidez para contrastar com o doce do peixe.

sushi cafe avenida

Ora, daí para a frente os pratos foram surgindo na mesa aos pares, sempre com uma explicação precisa sobre o que íamos degustar. O duo que se seguiu foi o melhor do jantar, ainda que nenhum dos pratos seja parecido com o outro.
Por um lado, temos o Himalayan Salt Rock Sashimi, que são quatro fatias de sashimi de chutoro (um atum “meio gordo”) com um topping de cebola caramelizada, wasabi e maracujá, dispostas milimetricamente sobre uma pedra de sal rosa dos Himalaias, para ganhar esse toque salgado. As fatias são apresentadas abertas e dobradas mesmo à nossa frente, para dar alguma “teatralidade” à cena… e que resulta na perfeição! Mas mais do que o aspecto ou o gimmick, estamos a falar de um prato fantástico, com os sabores todos a complementarem-se mas a conseguirmos identificar cada um. Uma maravilha!

sushi cafe avenida

E se este é fenomenal, então não há adjectivos para descrever o outro prato que nos chega à mesa: o Wagyu Truffle. Que descrito até parece simples! Tiras de tataki de vazia de wagyu com raspas de trufa e ainda tempura de cogumelos shimeji. Parece simples, não é? O prato é lindíssimo e a conjugação de sabores é fantástica, não há mesmo forma de descrever o prato de outra forma. Wagyu e trufa… Gente, vale a pena ir ao Avenida Sushi Café só para provar este prato!

sushi cafe avenida

Os pratos vão chegando com a cadência certa, sempre bem apresentados – tanto a nível da sua apresentação visual, como bem apresentados por quem os serve, que conhece os ingredientes e sabe o que tem de dizer para nos envolver. Isto era algo de que nos lembrávamos e que agora comprovámos que evoluiu bem com o tempo. Muito bem.

E depois disto tudo, chega à mesa o sushi, que é o ex-libris da casa e aquilo que nos fez ir a primeira vez ao Avenida Sushi Café. O peixe já o tínhamos visto exposto na montra, bom aspecto e muita variedade. Talvez por isso mesmo, a sugestão que nos fazem é provar o sashimi, provar a variedade e frescura do peixe. O Kisetsu Sashimi traz-nos uma bowl cheia de gelo, com 25 peças de peixe, onde temos: ostras, camarão, atum, salmão, vieiras, corvina, robalo, carapau, pregado e choco. As peças estão bem cortada, a apresentação resulta e o peixe é bom. Não é completamente surpreendente porque tivemos experiências recentes com maior diversidade e frescura (vejam por exemplo o que escrevemos sobre o Yakuza First Floor), mas ainda assim é um bom cartão de visita.

sushi cafe avenida

Ao mesmo tempo que o sashimi, chega-nos à mesa o rolo mais pedido e emblemático da casa, o Apple Maki: rolo de salmão com camarão em tempura, maçã, açúcar demerara e molho teriyaki. O conjunto faz sentido, mas o que dá nome ao maki – a maçã – é o que se sente menos. É pena.

sushi cafe avenida

Ainda no campo do sushi, temos os gunkans, dos quais provamos dois diferentes. O Gunkan Tuna Foie tem (adivinhem) atum, foie gras e cebola roxa caramelizada, uma combinação que resulta sempre, mas que é menos surpreendente do que o outro gunkan no mesmo prato. O Gunkan Suzuki Ebi Krunch tem robalo e camarão enrolado em massa crocante de kizami wasabi e gila, o que o transforma num gunkan muito inovador e fresco, muito diferente do que habitualmente comemos nos japoneses de fusão. Bela surpresa.

sushi cafe avenida

E depois do sushi, continuamos no peixe com o último prato. Porque a carta do Avenida Sushi Café tem mesmo mais do que sushi e sashimi, e a parte intitulada “Cozinha” tem coisas diferenciadoras como por exemplo este Black Cod. Estamos a falar de bacalhau negro do Alasca com miso, ervilha de quebrar e migas de feijão frade (ou assim uma espécie disso). O prato tem uma excelente apresentação e a ideia até é boa – juntar sabores japoneses com outros mais nacionais, para criar uma fusão entre as duas culturas… mas o problema deste prato é mesmo o bacalhau. O bacalhau fresco tem muito pouco sabor e, mesmo sendo uma posta enorme, tudo no prato se destaca mais do que o elemento principal. E ainda por cima é tudo demasiadamente doce… enfim, uma boa ideia que não funciona assim tão bem.

sushi cafe avenida

A degustação já vai longa, mas não podemos deixar de experimentar duas sobremesas. A carta tem muita coisa, mas há duas que se destacam claramente para nós: o Kabotcha Cheesecake (um bom cheesecake, coberto de doce de abóbora e canela, algo muito português onde apenas as as pevides crocantes dão um toque um pouco mais exótico) e o Sundae Miso (que, como o nome diz, é um sundae com caramelo de miso, crumble de Oreo e biscoito de waffle… ou seja, uma boa sobremesa, mas nada de japonês…). A promessa de sabores do Japão não aparece em nenhuma das sobremesas, ainda que sejam as duas muito boas.

sushi cafe avenida

No final, feitas as contas, o jantar não fica barato. Mas também é verdade que não estamos nesse registo, estamos num registo de sofisticação na comida japonesa. O espaço, o conceito e a comida transportam-nos para um ambiente mais internacional, mais cosmopolita, e isso paga-se. Mas praticamente toda a comida continua a cumprir o esperado e foi claramente adaptada às novas tendências, o que faz do Avenida Sushi Café um espaço sempre actual.

Nem sempre resulta bem voltar a restaurantes onde fomos “felizes” há muito tempo atrás, mas felizmente isso não acontece aqui. O Avenida Sushi Café continua a ser um dos melhores japoneses de fusão de Lisboa, e por isso merece sempre uma visita. Pelo menos.

Preço Médio: 38€ pessoa (com vinho)
Informações & Contactos:
Rua Barata Salgueiro, 28 | 1250-044 Lisboa | 21 192 8158

[codepeople-post-map]

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.