BELLO FORNO

BELLO FORNO

A verdadeira Margherita napolitana!

A escolha por um restaurante italiano para ir jantar é mais complicada do que no que diz respeito a outro tipo de restaurantes. E nem é por haver pouca oferta… é exactamente pelo contrário: há demasiada oferta! Em Lisboa há italianos para todos os gostos: os clássicos, os mais novos e mais na moda, os especializados em massas e outros especializados em pizzas, aqueles mais virados para famílias e os outros mais generalistas. Há os que têm pizzas de massa fina e outros com tipos de massa diferentes, os que fazem a sua própria pasta… enfim, há realmente de tudo espalhado pela cidade. E isso faz com que a nossa decisão, quando queremos um italiano, tenha a ver com a proximidade ou a nossa preferência por um ou outro (que resulta sempre da experiência prévia).

No fundo, isto tudo para dizer que é muito complicado para um novo restaurante italiano destacar-se do resto da concorrência. É preciso haver um factor diferenciador, algo que possa servir de gancho de comunicação para apelar a quem procura um italiano. E, no caso do Bello Forno, esse gancho são as pizzas napolitanas, as verdadeiras pizzas napolitanas.

O Bello Forno fica no Campo das Cebolas, que sofreu uma enorme remodelação no ano passado e está agora bastante mais agradável para se passear um bocado. Uma coisa que se manteve foi a quantidade enorme de restaurantes, quase porta sim porta sim (literalmente). E como todos os toldos são brancos e as esplanadas muito parecidas, o primeiro problema do Bello Forno é encontrá-lo. Ou, pelo menos distingui-lo no meio dos outros restaurantes vizinhos.

No interior o cenário é também ligeiramente confuso, com mobiliário e decoração que mais nos remetem para um restaurante indiano do que para um italiano. Mesmo o enorme forno a lenha está quase “escondido” ao fundo da sala, o que lhe retira o destaque que podia (e devia ter). É um espaço que precisa de mais decoração, mais “alegria”, mais contrastes.

O Bello Forno é um projecto do nepalês Ranjan Ghimire, que já passou por outros restaurantes e fez um curso em Itália para aperfeiçoar a receita da verdadeira pizza napolitana. Que tem basicamente a ver com os ingredientes e com a forma como a massa é confeccionada. Parece simples… mas não é. Talvez por isso mesmo o Bello Forno faz da pizza napolitana a sua principal bandeira, ou, se quisermos ser ainda mais específicos, a Pizza Margherita. E é mesmo por aí que começamos, com uma explicação e demonstração de como fazer uma verdadeira Pizza Margherita, ao estilo napolitano.

Ao balcão, o simpático Ranjan vai explicando que a massa da pizza tem de ser levedada por muitas horas até ficar perfeita, porque só assim se consegue a textura ideal. Depois é estender a tal massa à mão. Sim, não há cá rolos nem nada disso, a massa é estendida à mão, porque é assim que ditam as regras. Por cima dela, molho de tomate feito de forma caseira e ingredientes simples mas frescos e deliciosos, porque as pizzas têm muito a ver com isso: a qualidade e sabor de poucos ingredientes. O resultado final, antes de ir ao forno, deve ser algo deste género:

Outro factor determinante é o forno onde a pizza é cozinhada: deve ser um forno a lenha, com temperaturas a chegar aos 180 graus e de forma uniforme, para garantir que a massa recebe o mesmo calor de todos os lados. No caso do Bello Forno, tudo é feito desta forma, para assegurar um resultado perfeito. As pizzas ficam no forno apenas por 60 segundos, porque só assim a massa fica no ponto ideal de cozedura.

Ora, todo este processo resulta numa Pizza Margherita deliciosa, provavelmente uma das melhores que comemos em Lisboa! A massa fica relativamente fina no centro mas alta no rebordo, permitindo que se sinta o seu sabor excelente e aguentando bem os ingredientes. O molho de tomate é também muito bom e tem a proporção certa, não se sobrepõe a tudo o resto, o que acontece em demasiados italianos na cidade. A julgar pela sua Margherita, o Bello Forno já soma pontos em relação a muitos deles.

Mas não só desta pizza é feito o Bello Forno, e nem só de pizzas, por sinal. O restaurante tem uma carta vasta – demasiado grande na nossa opinião, ou pelo menos devia destacar os seus destaques – onde há pizzas, pastas, risottos e pratos de carne e de peixe. Nestes últimos há alguns que até se afastam completamente da cozinha italiana, o que se justifica apenas pela localização do Bello Forno e pelo facto de grande parte do público que circula naquela zona seja estrangeiro. Enfim…

De qualquer forma, provámos mais uma pizza e ainda uma pasta. No que respeita à pizza, foi mais uma surpresa: a Ripieno Fritto é uma calzone (para quem não sabe, uma pizza fechada, com os ingredientes no interior) mas é frita! No seu interior temos mozzarella, ricotta, milho, presunto, salame e manjericão, mas o que surpreende mesmo é a massa, que fica estaladiça, quase a fazer lembrar uma fartura. Não é uma pizza fácil, mas é uma pizza surpreendente, para quem gosta de experimentar coisas diferentes.

No campo das pastas, a nossa escolha foi para o Tagliatelle “Dello Chef”, uma espécie de surf&turf das pastas: tagliatelle com bacon, camarão, cogumelos porcini, molho pesto e molho de tomate, uma conjugação de sabores interessante e novamente com bons ingredientes. Pessoalmente optaria por apenas um molho, ou o de pesto ou o de tomate, para que se pudesse destacar mais, mas é mesmo uma questão de opinião.

Para o final ficaram duas sobremesas, as mais pedidas da carta e dois dos principais clássicos da cozinha italiana. O Tiramisù do Bello Forno é fantástico, com boas camadas, sabor a café intenso, textura excelente! A Panna Cotta também não é uma sobremesa nada má, também com a textura certa. Só que ao lado do tiramisù, nenhuma outra sobremesa se iria destacar.

Ora, como na grande maioria dos restaurantes, o Bello Forno tem altos e baixos. Os ingredientes e a confecção dos pratos são acima da média, sem dúvida, mas falta alguma orientação na carta, que é demasiado grande e abrangente para tornar o restaurante em algo diferenciador em relação aos outros italianos de Lisboa. No fundo, falta foco. E esse foco podem ser as pizzas em forno a lenha ou mesmo a verdadeira Margherita napolitana. Quando já estamos dentro do restaurante, o serviço encaminha-nos para esse fator de diferenciação, é verdade, mas antes de passar porta a dentro ou mesmo quando olhamos para a ementa, isso não se reflecte.

Tem mesmo de existir esse factor que me faça escolher ir ao Bello Forno em vez de ir a outro italiano qualquer. A simpatia no serviço está lá, os ingredientes de qualidade também e quem lhes mexe na cozinha sabe o que faz. Isso é a base de qualquer restaurante de sucesso. Agora falta o resto.

Preço Médio: 18€ pessoa (com cerveja)
Informações & Contactos:

Campo das Cebolas, 50 | 1100-135 Lisboa | 21 886 30 13

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.