TRICKY’S

Tricky feeelings… Numa época em que os conceitos cada vez mais se cruzam, se calhar é o próprio paradigma que está a mudar. A típica casa de petiscos variados com bebidas a acompanhar está gradualmente a dar lugar aos bares de cerveja ou de vinhos que contam com uma cozinha onde se serve comida para … Ler mais

CHEZ IDRISS (Oeiras)

Um bocadinho de Marrocos… mas aqui era preciso regatear preços. No fundo, tentámos resumir tudo num título, porque é mais ou menos fácil: no Chez Idriss há um gostinho a Marrocos, mais nuns pratos do que noutros… mas também há preços um pouco mais altos do que seria de esperar. Quase que nos apeteceu regatear, … Ler mais

O CANTINHO DO ALFREDO

Não há tasca mais tasca que esta tasca! Gostamos de uma boa tasca. Mas a verdade é que há tascas… e tascas! Há tascas que foram evoluindo um pouco ao longo do tempo, mudando algumas coisas ainda que mantenham a sua identidade. E depois… depois há Tascas, mas aquelas Tascas com T grande. Aqueles sítios … Ler mais

O CLUBE DO HAMBÚRGUER

É muito leeeeeeeeeeeeeeentooooooooo… Sim, é isso mesmo: é muito lento. O que, neste caso, até tem o seu quê de ironia, porque somos avisados logo assim que nos sentamos que se fizermos todos os pedidos através da App do restaurante onde também temos a ementa, será tudo muito mais rápido. Ora… durante a mais de … Ler mais

CAPRICCIOSA

Um italiano onde é tudo só vista… Há pizzarias boas e pizzarias más. E depois há a Capricciosa, que é uma espécie de McDonald’s para os restaurantes italianos, ou seja, é a fast food daquilo que sabemos que pode ser bom. Só que não é. E se pesquisarem na net, vão encontrar fotografias com bastante bom … Ler mais

ZÉ PINTO

A casa do Arroz de Feijão! Quem nunca foi ao Zé Pinto que ponha a mão no ar! Pronto, eu sei, não dá para ver… por isso podem baixar as mãos. Sim, porque acredito que muita gente levantou a mão 😉 E tenho essa certeza porque sei que há restaurantes que nos acompanham a todos, … Ler mais

ATIRA-TE AO RIO (Cacilhas)

Uma vista magnífica merecia melhor comida. Já há algum tempo que não ia ao Atira-te ao Rio. Foi um “habitual” a determinada altura, mas sempre com um senão, que era o percurso no cais desde Cacilhas até ao restaurante, com os armazéns abandonados. Nunca tive problemas, mas esse percurso não era o mais agradável do … Ler mais