CHAMONIX

Uma tasca disfarçada de pastelaria.

Mais um mês, mais uma tasca, ou mais um jantar do #adorotascas. Desta vez, na Margem Sul, em Almada. E porque não? Isso foi o que quase todos pensámos, até termos começado e procurar e perguntar coisas sobre o Chamonix… e só nos davam indicações de ser uma pastelaria. Um jantar de tascas… numa pastelaria?! Mas estamos parvos, ó quê?! Pois, foi o que pensámos. E quando a isso juntamos uma noite em que a Ponte 25 de Abril está cortada… estão já a imaginar o humor com que chegamos (meia hora atrasados) ao restaurante, não estão?

Pois que o Chamonix tem uma fachada que parece uma pastelaria e uma primeira sala que parece uma pastelaria. Ok, também tem o nome que tem, assim como uma pintura das montanhas junto à Chamonix real na parede, mas pronto. O que interessa mesmo é que tem uma segunda sala, que é onde servem as refeições. Muitos almoços e alguns jantares.

Sala fechada, sem decoração nenhuma, mesas com toalhas brancas, duas televisões nas paredes, cada uma num canal diferente (e com som, claro). Não há aqui grandes preocupações em tornar o espaço mais acolhedor, nada disso, isto tem é de ser funcional. Porque depois o serviço e a comida fazem o resto.

Somos um grupo grande e estamos habituados a esta dinâmica das tascas, por isso a conversa começa rapidamente e vai ficando cada vez mais divertida. Quem nos atende não nos quer despachar – mesmo tendo em conta que chegamos depois da hora marcada. Não há pressas, as piadas e as bocas vão surgindo de um lado e do outro, vamos criando ali uma relação com pessoas que nunca tínhamos visto antes. Como acontece nas tascas a sério, onde terminamos o jantar como amigos da casa.

Mas aquilo com que estávamos mesmo com mais curiosidade era sobre a comida. Por todos os factores enunciado em cima, as dúvidas eram grandes. Mas quem conhecia o Chamonix insistia em dizer que íamos ter uma surpresa… e tivemos! A comida é a que estamos à espera numa tasca: portuguesa, tradicional, numa mistura de tacho e de grelha. Quase toda com sabor, bem servida, sem grandes preocupações com empratamentos e coisas dessas. O que é maravilhoso!

Ele há Petingas com um fantástico Arroz de Tomate, e outro maravilhoso Arroz de Feijão que acompanha os Filetes de Pescada. Sim, os arrozes são uma das melhores coisas que nos servem nesta noite, mas assim de longe. E isto não quer dizer que o resto seja mau, porque não é de todo! As petingas são boas e estão muito bem fritas, sem estar demasiado secas, e ainda pedimos outros dois pratos de peixe muito bons: o Polvo à Lagareiro, puxado ao azeite como se quer, ou o Bacalhau à Minhota, excelente, tanto o bacalhau como a batata, tudo muito bom!

Mas também há pratos de carne! A Carne de Porco à Alentejana – sim, tínhamos de pedir – podia ser mais apurada e as batatas deviam ser aos cubos. Raios! É assim tão difícil fazer isso?! E os Secretos de Porco, bem grelhados, com as mesmas batatas, caseiras. Pratos simples, bem servidos, com sabor e saber.

Finalmente, um daqueles pratos que sabíamos que vinha para a mesa assim que o vimos na lista, porque há neste grupo que não hesite em pedi-lo. A Dobrada com Feijão Branco, muito boa e bastante apurada, quase nem precisa de picante. No fundo, no Chamonix há de tudo: tacho, grelha, comida da boa. E bem servida. E barata!

Como é habitual nestes jantares, não escolhemos sobremesas… pedimos uma de cada. Mas, infelizmente, como também tem sido habitual, as sobremesas são o elo mais fraco do jantar. Não é que sejam más, são apenas normais, sem muito para contar. Aliás, a mais surpreendente de todas nem é a melhor, é simplesmente a mais… diferente. Trata-se de uma Tarte de Gelatina com Frutos. Sim, isso mesmo: uma fatia de gelatina com frutos no interior. Porque não?! Além desta surpresa, temos ainda outras sobremesas clássicas, que acabam bem o jantar mas sem se destacar: Arroz Doce, Mousse de Chocolate, Bolo de Bolacha (que decepção…), Baba de Camelo ou Leite Creme.

Ninguém nos apressou, ninguém nos mandou embora. Com o café, ainda nos trouxeram uma aguardente caseira, porque já somos amigos da casa. E isto é uma das coisas que levamos das tascas: a arte de bem receber. O Chamonix até pode parecer uma pastelaria, mas depois deste nosso jantar, ficámos convencidos: há aqui uma tasca! E das boas!

Preço Médio: 12€ pessoa (com vinho da casa)
Informações & Contactos:
Av. Rainha Dona Leonor, 1 | 2805-012 Almada | 21 276 57 08

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.