BLUE JEANS

BLUE JEANS

Os hambúrgueres são bons, mas (ainda) falta o resto…

Já não há muito a dizer (escrever) sobre a moda das hamburguerias. Acalmou bastante mas enquanto houver procura, haverá oferta nova. E por “nova” quero dizer novos restaurantes, porque a oferta gastronómica em si não varia assim muito… ou quase nada. Já todos provámos as mesmas composições de hambúrgueres em vários sítios diferentes. O que muda – a maioria das vezes – é o nome que lhe dão, que está mais ou menos relacionado com o nome ou conceito do restaurante.

No caso da nova hamburgueria (e bar) de Paço de Arcos – o Blue Jeans – esse conceito tem a ver com… jeans.

O Ganga e o Pepe… percebem a ligação com “jeans”?

E por isso, é claro que os nomes dos hambúrgueres têm a ver com jeans.  No Blue Jeans temos um Denim, um Pepe (com novilho, mozzarella fresca gratinada, molho de tomate cherry em redução de balsâmico, cebola panada estaladiça e rúcula, em pão de sementes barrado com pesto), um Ganga (em bolo do caco, com hambúrguer de porco preto coberto com queijo da Serra, cebola roxa confitada em vinho do Porto e pedaços de presunto estaladiço), um 501 ou mesmo um Hot Pants (hambúrguer de novilho com pepperoni, jalapeños grelhados, guacamole e molho Hot… o que quer que isso queira dizer).

Hot Pants, um hambúrguer com inspiração mexicana.

Os nomes são engraçados e até resultam bem quando os hambúrgueres são pedidos (“Eu queria Hot Pants!”). E a verdade é que os hambúrgueres são bastante bons! Principalmente porque a carne é boa, tanto a de novilho como a de porco, e são todos servidos no ponto pedido. Isso é logo um ponto a favor do Blue Jeans.

E o resto dos ingredientes também não comprometem, ou pelo menos não há nada a apontar à qualidade. Sim, posso comentar as proporções, que nem sempre são as melhor – por exemplo, no Ganga havia tanta cebola confitada que metade foi afastada para o prato. E se também é verdade que os hambúrgueres são grandes, isso significa que o pão que os acompanha é ainda maior. O que – e isto é uma opinião pessoal – para mim não é necessariamente positivo. Acabo por comer a carne e o resto dos ingredientes e apenas metade do pão. Não por ser mau, volto a dizer, apenas por ser demasiada quantidade.

Um grande plano do Pepe, que é a estrela da companhia.

Mas o Blue Jeans tem mais que hambúrgueres! A ementa transporta-nos para um restaurante estilo “americano”, com as entradas que estaríamos à espera. Provámos a Batata Palito com queijo derretido e bacon crocante: é um prato de batata frita (nem toda bem frita mas o queijo disfarça) com um exagero de queijo em cima (novamente a questão das proporções) e pedaços minúsculos de bacon (mas não crocante). Colesterol, aqui vamos nós!

Colesterol, ou antes, batatas fritas com queijo derretido e bacon.

Outra entrada são as Paupetas de Frango Panadas com Maionese Aioli. Não é uma entrada complicada, porque basicamente é panar o frango e já está, mas entretém até chegar o hambúrguer. Ainda que a apresentação seja assim um bocado para o… péssima.

A apresentação é péssima, mas estas tiras de frango panadas com molho aioli cumprem.

O problema do Blue Jeans não é a comida, ainda que tenha pontos a melhorar. O problema é mesmo o serviço, que é um bocado descoordenado. Somos um grupo grande, pedem-nos primeiro as bebidas e só depois, num momento separado, os hambúrgueres. Digo eu que talvez fizesse mais sentido pedir primeiro o que demora mais tempo a fazer… Os hambúrgueres chegam em tempos muito diferentes e há um que demora toda a nossa refeição para chegar, por esquecimento. Percebo que o restaurante é novo e por isso dou o desconto, mas é um ponto que acaba por influenciar a experiência.

O espaço é normal, mas não tem nada a ver com o conceito.

E depois o espaço, que não tendo nada de errado a apontar, não tem rigorosamente nada a ver com o conceito. Pelo menos o conceito que transparece no nome e na carta. Mobiliário, iluminação, tudo é igual a outros restaurantes que já vimos. Muitas vezes. Aqui ainda há alguns quadros com figuras americanas, mas isso não basta, por o resto é inócuo. Volto a dizer, é um restaurante novo, por isso ainda há aqui um caminho a percorrer. Esperamos…

Um quadro aqui, outro ali… não basta.

No fundo, no principal, o Blue Jeans cumpre. Os hambúrgueres são bons, grandes, não são caros. Há alguma variedade, o que é sempre positivo. Sim, falta rotina no serviço, falta alguma agilidade, mas isso são “dores” de crescimento de qualquer restaurante. O conceito precisa de ser mais uniforme e melhor explorado no restaurante, mas também é uma questão de afinações. 

Se tens pontos em comum com muitas das outras hamburguerias que foram aparecendo nestes últimos 3 ou 4 anos? Sim, tem. Mas isso é algo que se consegue ajustar com o tempo. E nós cá estaremos para ver como corre! 😉

Preço Médio: 15€ pessoa (com refrigerante)
Informações & Contactos:

Rua Costa Pinto, 100 | 2770-044 Paço de Arcos | 21 442 1021

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.