paco bigotes

PACO BIGOTES

Muita alma mas pouco sabor.

Restaurantes mexicanos… como não adorar?! Acho que, pelo menos desde há uns 4 anos, tem havido uma procura crescente por restaurantes mexicanos. Ou, pelo menos, por aquele tipo de “mexican joints”, que servem pratos tex-mex, nomeadamente tacos, acompanhados por margaritas ou cervejas importadas. A procura aumenta, a oferta também, e vão aparecendo espaços deste tipo um pouco por todo o lado.

Ora, o Paco Bigotes podia ser apenas mais um espaço a aderir a essa onda dos “mexicanos trendy”… mas aqui a grande diferença está na localização. Porque se tivesse aberto em Lisboa, era apenas mais um. Mas porque abriu na Parede, é praticamente único. Na linha de Cascais toda. E isso faz a diferença, faz uma diferença enorme!

paco bigotes

Porque o Paco Bigotes é uma taqueria, assim como é o Pistola Y Corazón do Cais do Sodré (podem ler aqui a nossa opinião). Só que, estando na Parede, não tem essa concorrência (ou dos outros mexicanos modernos do centro da cidade). Mas, curiosamente, isso não quer dizer que seja um spot mais sossegado. Não, nada disso! No Paco Bigotes é preciso tentar marcar mesa com alguma antecedência… e se tentam ir sem reserva, preparem-se para esperar. Umas horas.

Continuando na senda das comparações: o Paco Bigotes é melhor que o Pistola Y Corazón? Não, mas nem de perto nem de longe. Não se aproxima principalmente no que respeita aos tacos, porque o recheio não é tão bom nem tão apurado. Mas, curiosamente, é mais aproximado ao nível do ambiente. Ok, aqui estamos a falar de um registo de malta da linha, não há turistas, não há aquela fauna mais “urbana” que habita a taqueria do Cais do Sodré... mas o ambiente que se sente é o mesmo, com o mesmo barulho, as mesmas gargalhadas, os mesmos brindes. Mesmo a própria decoração do restaurante é mais festiva, mais colorida, mais folclórica (no bom sentido da palavra), e por isso o Paco Bigotes preencheu perfeitamente esta lacuna na zona.

paco bigotes tacos

A nível da comida, aqui há principalmente tacos. E depois há ceviches também, que de mexicano não têm nada mas que estão na moda e ficam sempre bem numa carta. Overall, o que sentimos nos tacos foi falta de intensidade. Existe sabor, mas nenhum dos que provámos tem aquele “kick” que nos surpreende. O “favorito do Paco” é o Cochinita Pibil, que tem carne de porco cozinhada com anchote e especiarias, molho de feijão e cebola marinada em habanero, mas na realidade não sentimos nenhum destes sabores a destacar-se. O mesmo acontece no Taco Bistec (carne grelhada com queijo fundido, cebola e coentros), que é ainda menos intenso, sendo que se calhar o que mais se destaca é o Taco Gobernador, onde a mistura de camarão em molho chipotle com feijão preto e abacate acaba por o tornar mais fresco e diferente do habitual. Completamente ao lado (pelo menos para nós) foi o Taco Sayulita, numa tortilha mole com queijo, camarões grelhados e pico de gallo, um conjunto que fica estranhamente empapado e desinteressante.

paco bigotes tacos

Com a excepção deste último, não achámos os tacos completamente maus, não é isso que estamos a dizer. Só que simplesmente não surpreendem a nível de sabor, principalmente quando temos bases de comparação, mesmo que não sejam nas proximidades. E a comida mexicana quer-se intensa, vibrante, surpreendente… o que não sentimos no Paco Bigotes.

paco bigotes

Para entradas temos ainda os clássicos Nachos, com queijo fundido, feijão e guacamole, além do pico de gallo (que, honestamente, também devia ser mais apurado). E podemos terminar a refeição com sobremesas, aqui sim com alguma diferenciação: o Flan de Cajeta (uma espécie de caramelo) é guloso e viciante, com as framboesas a contrastar muito bem com o doce do pudim; e o Bolo de Chocolate com Cacahuate (ou seja, amendoim) também é um twist meio mexicano a uma sobremesa clássica, que resulta bastante bem.

paco bigotes sobremesas

O Paco Bigotes não é um mau mexicano, nada disso. Aliás, a nível de ambiente, até é dos mais interessantes da grande Lisboa, porque consegue incorporar a ideia que temos dos mexicanos: barulho, diversão, convívio. Se os tacos são os melhores que já comemos? Não, não são, e neste ponto achamos que podiam investir um pouco mais, pelo menos para tornar tudo um pouco mais… condimentado e diferenciador. Mas as margaritas são boas e a verdade é que não muita coisa do género na zona, por isso acaba por ser uma boa solução para quem tem aquele apetite mexicano repentino.

Preço Médio: 15€ pessoa (com margarita)
Informações & Contactos:

Rua Nunes Dos Santos, Local C | 2765-546 São Pedro do Estoril | 21 407 67 08

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.