ADEGA TÍPICA – O GATO PRETO

ADEGA TÍPICA – O GATO PRETO

Uma tasca imperdível!

Há qualquer coisa mágica em conhecer sítios que não conhecíamos… e que nos deixam maravilhados. Isto acontece em viagens, em monumentos, em praias e, no nosso caso específico, acontece em restaurantes. Seja de que tipo for, adoramos descobrir um novo restaurante, especialmente se nos deixar surpreendidos e nos ficar na memória. E, às vezes, encontramos esses restaurantes… mesmo debaixo das nossas barbas! Ou, se quiserem, mesmo perto de casa.

A Adega Típica O Gato Preto fica em Caselas, perto do Restelo, e pelos vistos é um restaurante sobejamente conhecido na zona. Um restaurante que não conhecíamos… e daqueles que nem sabíamos o que estávamos a perder! Não é bem uma tasca, é daqueles restaurantes mais típicos, com paredes de pedra cheias de quadros com ilustres desconhecidos, visitantes do espaço, assim como os mais diversos objectos decorativos, assim num estilo vintage… da aldeia. O espaço transmite aquele ambiente familiar que se pretende neste tipo de restaurantes, e depois o serviço faz o resto, com simpatia, boa disposição e sempre uma preocupação genuína em saber se estamos a gostar. E sim, estamos a gostar muito.

Porque o que nos marcou mais na primeira visita ao Gato Preto (a primeira de várias, no curto espaço de 3 meses) foi efectivamente a comida! Estamos no registo da cozinha portuguesa tradicional, com pratos base permanentes na lista e depois outros que vão mudando consoante o dia.

A mesa já está posta quando chegamos, com o couvert mais ou menos habitual e depois algumas entradinhas surpresa. Às azeitonas e ao queijo seco que acompanham o bom pão fatiado, juntam-se ainda fatias de um belo paio e uns peixinhos da horta fantásticos! Coisas simples, coisas boas, coisas que nos entretêm enquanto não chegam os (muitos) pratos que pedimos.

Entre esses pratos, alguns são regulares na ementa, como os “Jaquinzinhos” com Açorda, onde tudo é excelente. Peixe crocante, açorda húmida e saborosa, como se quer. Mas também temos o Choco Frito, acompanhado de batata frita, o “fish & chips” à Portuguesa, se quiserem, que aqui é também muito bom.

Outras coisas vão chegando à mesa, porque somos um grupo grande: Costeleta de Vitela no carvão, Secretos de Porco, tudo bem grelhado e com sal no ponto (coisa rara nos dias de hoje), acompanhado com batata frita caseira, como deve ser. Ou o Frango à Passarinho, que é guloso como o caraças!

Mas também há peixes, e há dois destaques claros: o Polvo à Lagareiro é tenro, saboroso, acompanhado de umas fantásticas batatas a murro, tudo bem regado com azeite. Ou as Pataniscas de Bacalhau… que já comemos mais 3 vezes depois desta primeira visita (dá para perceber que gostámos, certo?). As pataniscas são finas mas muito saborosas e grandes, uma dose muito bem servida, e o Arroz de Feijão que faz parte do prato é só assim uma coisa do outro mundo!

Coisas simples, como podem ver. Mas coisas simples bem cozinhadas, bem servidas, bem acompanhadas com os vinhos da casa, fantásticos ara um jantar de amigos com conversa e boa disposição. Há restaurantes que nos deixam assim à vontade, que realmente nos fazem sentir em casa.

E depois ainda há as sobremesas… onde o claro destaque é o Bolo de Bolacha! Quem me conhece sabe que é só a minha sobremesa favorita, mas também aquela que é mais difícil de me fazer arregalar os olhos em restaurantes. Gente, o Bolo de Bolacha do Gato Preto é fantástico! Proporções certas entre bolacha e creme (de manteiga, claro), adocicado pelo café e com amêndoa picada no topo, para lhe dar aquele toque crocante que havia no que a minha mãe fazia em casa. Perfeito!

À mesa ainda chegam um bom Arroz Doce e outro bom Leite Creme, mas é difícil superar o bolo de bolacha… por isso pedimos mais uma fatia. E outra sempre que lá voltámos desde então. Porque isto das tascas tem este factor super interessante: se gostamos, acabamos por não nos importar de repetir vezes e vezes sem conta. E quando é perto de casa, ainda melhor!

Esta Adega Típica – O Gato Preto foi um verdadeiro achado, ainda que o tenhamos achado mais tarde do que muitas outras pessoas. Mas é impossível não ficar apaixonado por este restaurante, onde nos tratam como se fôssemos família e onde cada refeição é uma refeição caseira (ou uma festa, consoante o número de pessoas que nos acompanham). E de onde saímos sempre, mas sempre mesmo, com um enorme sorriso de satisfação nos lábios. Houvesse mais sítios destes espalhados por todo o País e se calhar as pessoas eram muito mais felizes.

#adorotascas

Preço Médio: 15€ pessoa (com vinho da casa)
Informações & Contactos:

Bairro de Caselas | Pátio do Machado, 42 | 1400-017 Lisboa | 21 302 0686

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.